ATENÇÃO! Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Aceitar

Colorir os cozinhados... com Sal e ervas aromáticas

A população portuguesa consome cerca do dobro da quantidade de sal, que é recomendada pela Organização Mundial da Saúde (5g/dia), tornando-se essencial diminuir a sua utilização na alimentação, sendo as ervas aromáticas, uma boa alternativa.

Segundo a Direção Geral de Saúde (2013), o atual consumo elevado de sal é uma causa importante de hipertensão arterial e, por conseguinte, de doenças cérebro-cardiovasculares como o AVC e o enfarte do miocárdio, aumentando, também, o risco de doenças renais, tornando-se um grande fator de risco para a saúde.

Como alternativa ao consumo de sal, podemos utilizar nas nossas cozinhas as ervas aromáticas, uma vez que, potenciam o sabor, o cheiro e até a cor aos alimentos, trazendo benefícios de forma positiva para a saúde. Podem ser usadas na preparação ou tempero de saladas, marinadas, sopas, carnes, peixes, chás, compotas, entre outros e também, podem ser usadas frescas ou secas, apesar que depois de secas perderem algumas das suas propriedades.

São fornecedoras de vários nutrientes, como proteínas, vitaminas, minerais, fibras, óleos essenciais e outras substâncias, em que atuam na prevenção do aparecimento do cancro, funcionamento do sistema cardiovascular, reprodutivo e nervoso, e ainda poderão ajudar no sistema digestivo e imunitário. Algumas também são conhecidas pela sua excelente ação antioxidante, como o orégão, o tomilho, a salsa, a salva, o manjericão, entre outros.

 

CARACTERISTICAS DAS ERVAS AROMÁTICAS

Aipo: Possui um sabor ligeiramente salgado, e um único caule é suficiente para condimentar os alimentos. Usado em sopas, saladas, carne estufada ou guisada ou cozida.

Alecrim: Possui um sabor doce e fresco. Usado na preparação de marinadas de carne de porco e borrego, aromatizar a água da cozedura de massas, batatas, arroz, molhos de tomate, saladas e manteigas aromatizadas.

Alho: Acentua o sabor das refeições devido ás suas essências aromáticas, pode ser usado esmagado, picado ou fatiado. Usado para temperar refogados e no tempero de carne, peixe, hortícolas cozidos e também, na preparação de arroz, feijão, pizas e sopas.

Cebola: Pode ser usada de variadas formas, como único ingrediente ou como tempero, seja ela frita, refogada, assada, ou crua em saladas. É um excelente substituto do sal.

Coentros: Tem um aroma especial e característico, que combina muito bem com todo o tipo de peixe. Tanto são usadas as folhas frescas, os caules e até as suas sementes. Usados em saladas, caldos de peixe, arroz, ervilhas, favas, sopas e molhos.

Endro: Pode ser usado tanto as suas folhas como o seu caule, que conferem um sabor forte, picante e apetitoso nos alimentos. Usado na preparação de sopas, saladas, peixes e arroz.

Estragão: Tem um sabor bastante acentuado, e costuma ser usado na preparação de vinagretes, peixes, saladas, molhos, omoletes.

Erva doce/funcho: São usadas tanto as suas folhas, como o seu caule e flores, na preparação de saladas, gratinados ou refogados, molhos, chá e pratos doces.

 

Gengibre: Apresenta um sabor muito picante e intenso, em pó, fresco, seco, em calda, cristalizado ou em pasta congelada. Usado na preparação de carnes e peixes, bebidas e sumos naturais, chás, sopas, saladas, entre outros.

Hortelã: Também conhecida como menta, tem um cheiro puro e sabor intenso e refrescante. Usado para aromatizar bebidas, tempero de pratos salgados e carnes, sopas, saladas e também no fabrico de rebuçados.

Louro: As folhas são muito aromáticas e possuem um sabor mais intenso depois de secas. Usado no tempero de carnes (porco), peixes, e na preparação de sopas, feijão, ovos e batatas cozidas.

Manjericão: Quanto mais jovens forem os rebentos, mais intenso é o seu sabor e cheiro. Deve ser adicionado em pratos já previamente confecionados de carne, peixe, sopas, massas, cozinhados com tomate e vinagres aromatizados.

Orégãos: Apresenta um sabor intenso, forte e aromáticos. Usado para aromatizar saladas de tomate fresco, molhos á base de tomate, pratos com queijo, carne, peixe, massas, guisados ou estufados.

Salsa: As suas folhas apresentam um sabor intenso e aromático. Deve ser consumida crua, aromatizando sopas, saladas, peixes, carnes, ovos.

Tomilho: Apresenta um cheiro muito suave, semelhante ao da hortelã. Da sua composição nutricional destacam-se as vitaminas B e C e o magnésio.

 

COMO COMPRAR E CONSERVAR AS ERVAS AROMÁTICAS

No momento de comprar as ervas aromáticas, deve-se escolher sempre mais frescas e com maior aroma, para conseguir uma maior durabilidade, embrulhe o seu caule em papel absorvente humedecido ou num pedaço de pano e guarde-as num saco de plástico no frigorífico.

Também poderão ser cortadas e guardadas no congelador, no entanto, podem perder algumas das suas propriedades, uma vez que existe a formação de cristais de gelo, fazendo-as perder o seu poder aromático.

 

Dina Carção – Nutricionista (2890N)

Destaques

Crianças vegetarianas

A alimentação vegetariana implica um conjunto...

Ler Artigo
Receitas

Salada fresca de verão

ingredientes 250gr de milho 1 chal...

Ler Artigo

Saiba mais

sobre a sua encomenda

282 476 686 ou 967 320 206
Livro de Reclamações
© mercearia bio 2019, todos os direitos reservados