ATENÇÃO! Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Aceitar

Para os nossos bebés...

O leite materno deve ser o alimento de eleição até aos seis meses de idade, presencialmente de forma exclusiva, pois fornece todos os nutrientes necessários para os primeiros meses do bebé.

Após os seis meses a criança já apresenta maturidade fisiológica e neurológica para receber outros alimentos, pelo que é importante iniciar a sua introdução de forma lenta e gradual.

As necessidades nutricionais da criança já não são supridas com o leite materno, embora este ainda continue a ser uma fonte importante de calorias e nutrientes, podendo ser mantido até os dois anos de idade ou mais.
Os alimentos complementares, especialmente preparados para a criança, são chamados de alimentos de transição. A papa, corresponde a um deles, sendo muitas vezes introduzida.

As papas de compra são, muitas vezes, as escolhidas pelas mães, embora em geral contenham mais açúcares e sejam menos nutritivas do que as feitas em casa.

Algumas têm adição de açúcar e sal para realçar o sabor, a melhorar a textura e para prolongar a validade do produto, o que faz com que os bebés se habituem aos sabores doce e salgado em detrimento da sopa ou da fruta, sem adições.

Mesmo assim, é possível encontrar boas opções no mercado. Nos pontos a seguir, pode aprender a escolhê-las e interpretá-las.

 1.  Verifique para que idade a papa é aconselhada

É obrigatório estar na embalagem a idade a partir da qual a papa pode ser incluída na alimentação do bebé.

 2.   Verifique a presença ou não de glúten

Qualquer papa permitida a partir dos quatro meses tem de informar sobre a presença de glúten.

Muitos especialistas aconselham a que as primeiras papas introduzidas na alimentação do bebé sejam as papas sem glúten (proteína presente em alguns cereais). Porque, se o bebé tiver doença celíaca (intolerância ao glúten) e consumir papas com esta substância, as consequências serão mais graves até aos seis meses. A imaturidade do aparelho digestivo do bebé tolera mal a ingestão de glúten, podendo determinar graves perturbações gastrointestinais, difíceis de tratar ou de controlar, sobretudo nos primeiros meses vida.

O arroz e o milho não contêm glúten, por isso os ingredientes usados podem ser arroz, milho-miúdo, milho e tapioca.

 3.  Tenha em conta os nutrientes

A papa deve, preferencialmente, ser constituída por hidratos de carbono e proteínas. Deve conter vitaminas A, B, C, E e PP, iões e minerais como cálcio, ferro, fósforo e potássio.

4.    Evite a presença de açúcar

A adição de açúcar não deve exceder 10 por cento do total de calorias ingeridas ao longo do dia, pelo que deve optar por papas sem este ingrediente. Se escolher uma papa com açúcar, a quantidade deve ser inferior a 20 por cento do total de calorias. Por exemplo, em 100 g de produto, o valor de hidratos de carbono, dos quais açúcares, deve ser inferior a 20 g.

O enriquecimento em açúcares aumenta o valor calórico das farinhas e pode favorecer a obesidade, bem como o aparecimento de cáries.

 5.  Evite a presença de sal

Prefira produtos sem sal ou com um valor inferior a 130 mg de sódio por 100 g.

O leite contém quantidades suficientes de sódio. Não há razão para habituar as crianças ao gosto salgado.

 6.   Atente à forma de preparação

Quanto ao tipo de papas, dividem-se em não lácteas e papas de cereais lácteas. As primeiras devem ser reconstruídas em leite materno ou leite de transição e as lácteas, que como o nome indica, contêm proteínas lácteas na sua composição, não necessitam de adição de proteínas, devendo ser preparadas com água fervida.

Em casos mais específicos, como os bebés que tenham histórico familiar de alergia às proteínas do leite animal, deve-se optar por fórmulas lácteas constituídas por proteínas extensamente hidrolisadas. Designadas geralmente com a inscrição "HA".

7.  Escolha o sabor

A primeira papa do bebé não deve ter um aroma específico, devendo ser apenas de cereais. Após a introdução da sopa, pode iniciar as papas de fruta. Escolha sabores suaves e naturais, como a pera, banana e maçã, pois são igualmente os frutos que geralmente têm menor risco de reações adversas. À medida que introduz novos alimentos, é importante promover a variedade, para garantir que o bebé tem acesso a todos os nutrientes necessários.

 Outros aspetos importantes:

1. Os ingredientes que aparecem em primeiro lugar no rótulo são os que estão presentes em maior quantidade.

2. Pelo menos, até aos seis meses de idade, deve escolher uma papa sem glúten. 

3. O açúcar pode ter diferentes designações no rótulo. Xarope de milho, xarope de cana, açúcar mascavado, dextrose e frutose são algumas delas.

As minhas sugestões:

Holle Papas não lácteas sem glúten

Holle Papas não lácteas integrais

Topfer papas não lácteas Bio Organic

Destaques

Os meus “Superalimentos”…. Frutos Oleaginosos

A saber…Nozes, amêndoas, amendoins, avelãs,...

Ler Artigo
Receitas

Papas de aveia com limão, amêndoa e canela.

Dose para 2 pessoas: ingre...

Ler Artigo

Saiba mais

sobre a sua encomenda

282 476 686 ou 967 320 206
Livro de Reclamações
© mercearia bio 2019, todos os direitos reservados